domingo, 9 de junho de 2013



Deixa eu pensar que seu amor é meu, que sou eu.
Vai que a gente se faz FELIZ!

sábado, 1 de junho de 2013

Negrito



Eu poderia ficar em casa até você voltar, mas tá fria, escura, vazia, escura, tão escura, muito escura. E você sabe como eu tenho medo do escuro! Tenho medo dos ladrões e almas penadas que podem aparecer, só pelo fato de eu estar só. E você sabe que não gosto de ficar só!

E eu que acabei te dando toda minha luz, não posso mais voltar pra casa.

Vida



É assim mesmo, ouvindo No Surprises - Radiohaed, que fico lembrando de todas as palavras que trocamos, de todas as vontades que tivemos e compartilhamos, assim de perto, assim de longe. Pode parecer meio exagerando todo esse meu apego, mas é que os detalhes são muito bonitos, as entrelinhas de tudo que falávamos e fazíamos...Eu penso muito além, me torno inocente nessas situações, achando que uma simples vontade de te ver é a parte mais maravilhosa de tudo. Me faz pensar, que o fato de te ter por perto é tudo que preciso e que ouvir a tua voz é como ganhar o universo inteiro numa caixinha de música. Eu fico imaginando uma vida ao teu lado, uma dessas sem muitas irritações, preocupações, uma dessas de cinema, tipo comédia romântica.
Eu sigo acreditando que em algum ponto da minha vida você vai permanecer e vamos compartilhar essas coisas que gostamos quando amamos alguém, daí não será só mais minha, mas nossa.
Eu fico querendo conhecer todos os teus defeitos e me irritar com eles e ver que são tão bobos e passageiros que que vou esquecer logo depois de uma briga, daquela briga seguida de reconciliação, dessa que deixa o amor incrivelmente mais feliz.
Eu imagino uma vida verdadeira e tranquila pra gente. Dessas que a gente jura nunca ter fim.
Eu não quero ser o último amor da tua vida, nem acredito ser, mas quero ser daqueles marcantes, que ficam feito cicatriz, tatuagem.
Eu sigo imaginando que vou acordar todos os dias do teu lado e sentir a sorte me dizendo "Bom Dia!" por eu te ter ali, aqui. Fico imaginando que o cotidiano de uma vida corrida é só mais uma forma de ter mais perto, e mais, e mais, e ter novidades pra te contar e vontade de te ouvir, sobre essas coisas chatas de trabalho, de encontro com os amigos, de ideias que você, de que as crianças andam muito rebeldes e que precisam de um castigo e de que eu preciso ter mais pulso firme com elas, porque, afinal de contas, eu também sou mãe e preciso seguir seu ritmo no que diz respeito a elas, que eu preciso parar de mimá-las enquanto você faz o papel de megera.
Eu quero uma vida bonita pra gente, uma casa amarela com telhas vermelhas pra caber o nosso amor.
Eu quero ser, e quero que você seja, aquela parte da vida que a gente se aquieta num canto, onde tudo que a gente precisa tá guardado e que deseja ficar lá pra sempre.